Traduzido do latim por Omayr José de Moraes Filho, autor da Introdução e das Notas
Formato: 14 x 21cm
136 pgs
brochura costurada
Preço: R$30,00
ISBN: 85-87546-08-2

Excertos

… como diz São João Damasceno, a oração consiste em “pedir a Deus o que é conveniente”. Eis porque, muitas vezes, a oração não é ouvida: porque se pedem coisas que não convêm; “pedis e não recebeis, diz São Tiago, porque pedis mal”. Saber, porém, o que se deve pedir é dificílimo, porque é dificílimo conhecer o que devemos desejar … como ensina Santo Agostinho: “se orarmos correta e adequadamente, sejam quais forem as palavras que usemos, nenhuma coisa se pede além do que está proposto no Pai-nosso”. pág. 29

Além disso, a oração nos liberta do medo … das tribulações e das tristezas, segundo as palavras de São Tiago: “há entre vós alguém que esteja triste? Que faça oração!” pág. 33

… como observa Santo Agostinho: “bom é o Senhor que muitas vezes não dá o que queremos, para dar-nos aquilo que deveríamos preferir”. pág. 34

… “o sacrifício de louvor, diz o Senhor, me honrará”. Esse louvor deve estar não somente nos lábios, mas também no coração, para que Ele não venha nos dizer: “este povo Me louva com os lábios, mas seu coração está longe de Mim”. pág .39

… “o Senhor está próximo dos que O invocam”. Nesse sentido, as palavras de Cristo: “quando orares, entra em teu quarto” podem ser interpretadas como “quando orares, entra em teu coração”. pág 54

… pois é “Deus que sacia de bens teus desejos”. Notemos que só Nele se encontra tudo o que queremos, e de modo muito mais excelente e perfeito que qualquer bem deste mundo. Procuras os prazeres? Em Deus está a suma deleitação. Procuras as riquezas? Em Deus está a absoluta opulência da qual procedem todas as riquezas e, de modo semelhante, todos os outros bens. pág 70, 71
Leitura obrigatória

Em preleções intemporais Santo Tomás, o Doutor Angélico, um dos maiores e mais influentes teólogos de todos os tempos, revela como o Pai-nosso, de todas as orações é a mais perfeita pois contém não apenas todas as coisas que podemos corretamente desejar, mas também tudo o que nos é proveitoso querer.
    O texto original, em latim, foi comentado e acrescido de notas esclarecedoras pelo tradutor, Omayr José de Moraes Junior.
    A transcrição dessas pregações, proferidas no século XIII, afigura-se como leitura obrigatória para todos aqueles que buscam a Verdade que, por ser imutável, não sofre a influência passageira do tempo nem dos costumes.

Críticas

Jornal do Brasil
D. Estevão Tavares Bettencourt, O.S.B.

A oração do Senhor sempre interessou os escritores cristãos antigos, que freqüentemente a comentaram; tenham-se em vista São Cipriano ( + 258), Tertuliano ( + 220), Orígenes ( + 254) … Coube a S. Tomás de Aquino ( + 1274) comentá-lo após tantos outros mestres, no fim de sua vida (1273-1274), recorrendo a estilo bem diferente do da Patrística ou ao estilo escolástico, muito preciso e didático.
O texto do Doutor Angélico, traduzido do latim para o português pelo Prof. Omayr José de Moraes Júnior, é acompanhado de páginas introdutórias que colocam a obra do Santo em seu contexto histórico, e de notas de rodapé, que vêm a ser um denso comentário do Comentário.
Na sua Introdução o Prof. Omayr põe em relevo a genialidade do Mestre. Esta, entre outras maneiras, se destaca por notório conhecimento das escrituras, que são citadas cerca de duzentas vezes no breve “Comentário ao Pai Nosso”.  Também era familiar ao Santo a antiga literatura teológica latina, especialmente as obras de Santo Agostinho ( + 430), de quem “Santo Tomás elaborou um mosaico de sentenças” que o Doutor Angélico citava geralmente de memória (cf, p. 20). Toda essa erudição era revestida de uma capa de simplicidade, particularmente necessária pelo fato de que o Comentário foi redigido sob forma de sermões dirigidos a um auditório de pessoas quase iletradas. Conselheiro de Papas e príncipes, clérigos e leigos, S. Tomás também era pregador do Evangelho para gente simples.
O Comentário do Santo esmiúça quase cada palavra do Pai Nosso. Leve-se em consideração um espécimen desse esmiuçamento: “Nas palavras ‘que estais nos céus’ podemos subentender três exortações” (p. 45) e, a seguir, explanada toda a riqueza teológica da sentença em foco. Veja-se ainda à p. 33: “Notemos que a oração produz três benefícios”. . .  O leitor se deleitará ao apreciar a concatenação das idéias e a profundidade das reflexões do Santo Doutor.
Quanto ao comentário do Comentário, é de primeira qualidade. O Prof. Omayr esmerou-se em colher textos de obras anteriores de Santo Tomás que ilustram o pensamento do Mestre, como também indica fontes antigas que possam ter inspirado S. Tomás. O comentário do Prof. Omayr é mais longo do que o de S. Tomás; pode ser tido como pequeno tratado de espiritualidade, que faz eco fiel ao pensamento tomista.
Em síntese, a obra assim apresentada é de grande valor, não somente por seu conteúdo teológico, mas também por trazer aos leitores do século XXI uma amostra da cultura do século XIII, que primou por suas famosas catedrais góticas (ainda hoje, muito visitadas e admiradas) e também ... por suas Sumas Teológicas, verdadeiras catedrais do pensamento humano (válidas em todos os tempos).

Voltar

 

           

 


Lótus do Saber Editora
Tel & Fax: 0 ** 21 2644-5286
lotusdosaber@uol.com.br
Teresópolis, RJ
À venda nas melhores livrarias ou na Lótus do Saber.
Enviamos para todo o Brasil e aceitamos cartão de crédito e depósito bancário
Livros | Tomaz Lima, Homem de Bem | TLL Gravadora | CDs | Críticas

Load Counter
skinceuticals